sábado, 2 de junho de 2018

Apelo xamanico

"Grande Espírito da Luz,
Do Leste venha até mim com o poder do sol nascente.
Que haja luz nas minhas palavras,
Que haja luz no meu caminho.
Faça com que eu me lembre sempre que você nos dá um novo dia como uma dádiva.Nunca permita que eu me torne carregado pela amargura de não conseguir começar de novo.

Grande Espírito do Amor,
Do Norte venha até mim e faça-me corajoso quando o vento frio cair sobre mim. Dai-me força e perseverança contra tudo que seja grosseiro, tudo o que fere ou me amedronta. Que em minha vida eu esteja pronto para encarar o que vier do Norte.

Grande Espírito Doador de Vida,
Eu me volto para o Oeste, a direção do poente.
Que eu me lembre todos os dias que em algum momento o meu sol irá se pôr.Que eu nunca me esqueça que eu desaparecerei em ti.
Dai-me cores bonitas, um grande céu para o meu ocaso, para que quando chegar a minha hora de te encontrar, eu possa chegar glorioso.

Grande Espírito da Criação,
Envie os ventos quentes e suaves ao Sul.
Traga-me conforto e me acaricie quando eu estiver cansado e com frio.Desdobrai-me como o faz a brisa suave com as folhas das árvores. Assim como ofereces para toda a terra o vento suave, oferece-o a mim também para que eu possa compartilhar do seu afago.

segunda-feira, 5 de março de 2018

*ORAÇÃO CELTA DA PRESENÇA* por um Druids

Que você jamais se esqueça de quem realmente é... Um espírito!
Que você não se iluda com a aparência das coisas - e saiba ver com o coração.
Que você se sinta grato diante do infinito - e se admire ao ver um pôr de sol.
Que você jamais se esqueça das pessoas que lhe ajudaram em alguma coisa.
Que você ore por todos aqueles que sequer sabem orar - e que isso seja lindo!
Que você jamais deixe de apreciar uma linda canção - e ser grato por isso.
Que você abrace uma árvore e a chame de irmã querida.
Que você compreenda: viver é mais do que só viver... É também pensar e sentir.
Que você seja encantado(a) por um Grande Amor - e saiba que é um presente.
Que nada roube a Luz do seu coração - e que sua trilha seja honrada e linda.
Que você olhe seus filhos como estrelinhas - e seus pais e avós também!
Que você jamais seja um canal de violência - e, pelo contrário, trabalhe pela Paz.
Que você passeie e brinque com seu cão - e agradeça à Presença pelo presente.
Que você saiba extrair lições de cada revés - e jamais perca a fé na jornada...
Que você se sinta honrado(a) de um Grande Amor viajar em seu pequeno coração.
Que você não tenha medo do mundo espiritual - pois é de onde você veio.
Que você não veja a cor da pele de ninguém, mas, sim, a cor da Luz em cada Ser.
Que você se esqueça das ofensas - mas não se esqueça de ser feliz.
Que você transborde de júbilo - só por existir. E que o seu peito seja um sol!
Que você seja maduro(a) e responsável - mas sem abafar a sua criança interior.
Que você seja capaz de aguentar o Poder da Luz transformando sua consciência.
Que você assuma sua espiritualidade - seja lá qual for... E ria muito.
Que você respeite os que sabem menos - porque conhecimento não é sabedoria!
Que você seja um grande curador(a) - primeiro, de si mesmo -, e abrace o mundo.
Que você jamais traia a si mesmo(a) - porque sua força está em seu caráter.
Que você agradeça aos seus amigos espirituais - que lhe ajudam em silêncio.
Que você, por onde for, seja um presente... E que a Presença sempre lhe abençoe.
Que você seja digno de acolher um Grande Amor em seu pequeno coração.

Que você, simplesmente, seja feliz.

domingo, 25 de fevereiro de 2018

MULHERES QUE CURAM. SÁBIAS, FADAS, BRUXAS?

"Erveiras, raizeiras, benzedeiras, mulheres sábias, bruxas, fadas, feiticeiras, que por muito tempo andaram sumidas, ou até mesmo escondidas. Hoje retornam com um diploma de pós-graduação nas mãos e um sorriso maroto nos lábios. Seu saber mudou de nome. Chamam de terapia alternativa, medicina vibracional, fitoterapia, práticas complementares…são reconhecidas e respeitadas, tem seus consultórios e fazem palestras”.
As mulheres curadoras fazem parte de um antigo arquétipo da humanidade.
Em todas as lendas e mitos, quando há alguém doente ou com dores, sempre aparece uma mulher idosa para oferecer um chazinho, fazer uma compressa, dar um conselho sábio. Na verdade, a mulher idosa é um arquétipo da ‘curadora’, também chamada nos mitos de Grande Mãe.
Não tem nada a ver com a idade cronológica, porque esse é um arquétipo comum a todas as mulheres que sentem o chamado para a criatividade, que se interessam por novos conhecimentos e estão sempre a procura de mais crescimento interno. Sua sabedoria é saber que somos “obras em andamento’, apesar do cansaço, dos tombos, das perdas que sofremos… a alma dessas mulheres é mais velha que o tempo, e seu espírito é eternamente jovem.
Talvez seja por isso que, como disse Clarissa Pinkola:
“Toda mulher parece com uma árvore. Nas camadas mais profundas de sua alma ela abriga raízes vitais que puxam a energia das profundezas para cima, para nutrir suas folhas, flores e frutos. Ninguém compreende de onde uma mulher retira tanta força, tanta esperança, tanta vida. Mesmo quando são cortadas, tolhidas, retalhadas, de suas raízes ainda nascem brotos que vão trazer tudo de volta à vida outra vez.”
Por isso, entendem as mulheres de plantas que curam, dos ciclos da lua, das estações que vão e vem ao longo da roda do sol pelo céu. Elas tem um pacto com essa fonte sábia e misteriosa que é a natureza. Prova disso é que sempre se encontra mulheres nos bancos das salas de aula, prontas para aprender, para recomeçar, para ampliar sua visão interior. Elas não param de voltar a crescer…
Nunca escrevem tratados sobre o que sabem, mas como sabem coisas! Hoje os cientistas descobrem o que nossas avós já diziam: as plantas têm consciência! Elas são capazes de entender e corresponder ao ambiente à sua volta. Converse com o “dente-de-leão” para ver… comunique-se com as plantas de seu jardim, com seus vasos, com suas ervas e raízes, o segredo é sempre o amor.
Minha vó dizia que as árvores são passagens para os mundos místicos, e que suas raízes são como antenas que dão acesso aos mundos subterrâneos. Por isso ela mantinha em nossa casa algumas árvores que tinham tratamento especial. Uma delas era chamada de “árvore protetora da família”, e era vista como fonte de cura, de força e energia. Qualquer problema, corríamos para abraçá-la e pedir proteção.
O arquétipo de ‘curadora’ faz parte do feminino, mesmo que seja vivenciado por um homem. Isso está aquém dos rótulos e definições de gênero. Faz parte de conhecimentos ancestrais que foram conservados em nosso inconsciente coletivo.
Despertar o sagrado feminino é permitir que o arquétipo da Anciã, aquela que tudo sabe, desperte em vc não importa sua idade.  É se conectar com as forças da mãe natureza, é aceitar seus ciclos, se entender e assim se libertar das emoções reprimidas, medos e apegos. É amar-se acima de tudo e exatamente do jeito que se é. É realmente se enxergar como parte da  parte deusa criadora de tudo, sentir-se especial só pelo fato de ser mulher, a que sente e a que cura.
É isso tudo não precisa ter nome!

quarta-feira, 1 de março de 2017

SIGNIFICADO DOS NOMES DOS MESES

JANEIRO
Januarius era uma homenagem ao deus Jano, o senhor dos solstícios, encarregado de iniciar o inverno e o verão.

FEVEREIRO
O nome se referia a um rito de purificação, que em latim se chamava februa. Logo, Februarius era o mês de realizar essa cerimônia realizada pelos romanos, sacrificando animais em homenagem aos deuses do panteão.

MARÇO
Dedicado a Marte, o deus da guerra. A homenagem, porém, tinha outra motivação. Martius era o mês da semeadura nos campos.

ABRIL
Pode ter surgido para celebrar a deusa do amor, Vênus. Outra hipótese é a de que tenha se originado de aperio, “abrir” em latim. Seria a época do desabrochar da primavera.

MAIO
Homenagem a Maia, uma das deusas da primavera. Seu filho era o deus Mercúrio, pai da medicina e das ciências ocultas. Maio era chamado por Ovídio de “o mês do conhecimento”.

JUNHO
Faz alusão a Juno, a esposa de Júpiter. Se havia uma entidade poderosa no panteão romano, era ela, a guardiã do casamento e do bem-estar de todas as mulheres.

JULHO
Chamava-se Quinctilis e era simplesmente o nome do quinto mês do antigo calendário romano. Até que, em 44 a.C. o senado romano mudou o nome para Julius, em homagem a Júlio César.

AGOSTO
Antes era sextilis, “o sexto mês”. De acordo com o historiador Suetônio, o nome Augusto foi adotado em 27 a.C., em homenagem ao primeiro imperador romano, César Augusto (63 A.C. – 14 d.C.).

SETEMBRO A DEZEMBRO
Para os últimos quatro meses do ano, a explicação é simples: setembro vem de Septem, que em latim significa “sete”. Era, portanto, o sétimo mês do calendário antigo. A mesma lógica se repete até o fim do ano. Outubro veio de October (oitavo), novembro de November (nono) e dezembro de December (décimo mês).


terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

DRUIDISMO, MAGIA CELTA

As famosas e tradicionais histórias de Rei Arthur, Lancelot, Merlin, Morgana, Santo Graal, são associadas a este povo que não nos deixou registros em forma escrita, pois acreditavam que sinais gráficos comprometiam a força dos fatos, poderiam  criar imagens irreais, ou até interpretações errôneas sobre a verdade.
As histórias e lendas deste povo retratam heróis que lutam pela paz e harmonia dos seus, justiça para os injustiçados, fidelidade nas amizades, amores impossíveis e outros realizados.
Reis, cavaleiros, sacerdotisas, druidas, heróis, fadas, animais sagrados, espíritos habitantes de outros mundos, fazem parte do “Universo Celta” que é repleto de magia!
Alguns personagens habitam o mundo invisível, magos e druidas transformam-se em animais, sacerdotisas têm visões através do espelho e das águas. Além de tudo isto, magias são feitas com palavras mágicas, ervas e pedras poderosas, que produzem curas milagrosas.
A procura de objetos com simbolismo sagrado movimenta a busca por caminhos, o encontro de si mesmo.
O cotidiano celta era repleto de uma magia natural, que acontece através da forma com que observava o mundo e nos ensina a valorização e a força do próprio ser, do próprio eu. Em nenhum momento se percebe neste povo, resignação ou apatia, eram guerreiros, conscientes de seu papel no Universo e da magia que existe na Natureza.
O universo celta abre a nossa mente para a possibilidade de outros planos de existência e até mesmo “mágicos”, onde coisas que, geralmente, não têm importância passam a ser observadas, dando à vida um prazer muito grande pelo simples fato de se estar vivo.
A mentalidade celta mostra que a fragilidade nos dá força, que momentos de dor podem ser vividos de uma forma mais branda, se forem entendidos como processo de transformação para períodos de felicidade. Lembre-se de que são os momentos de fraqueza que tornam o homem forte, mais seguro e determinado.
Tudo é possível, porque ao completarse um ciclo, a Roda da Vida nos favorece com a primavera.


terça-feira, 4 de outubro de 2016

Quando o mestre se apresenta devemos estar parados e preparados para poder ouvir suas palavras  e ver.seus exemplos .
Nascemos sós e continuaremos sós.  Temos a ilusão de estarmos acompanhados mas estamos somente juntos.  .A essência humana é  individualizada.  Somos nossos únicos, companheiros inseparáveis . Estamos unidos em substância  a ao todo chamado de universo que é  silencioso e também solitário em suas múltiplas e bilionésimas partículas. E cheio de criaturas individuais. Planetas, estrelas, asteróides, enfim bilhões de seres individuais separados por imensas distâncias que, a nossos olhos, parecem próximas . Mas que na realidade estão absolutamente distantes, convivendo suas solidões.

Fazemos muito esforço para  sentir que não estamos sós e conseguimos com isso criar ilusões que muitas das vezes nos fazem parar ou tropeçar na caminhada.

As crenças, religiões, teorias nos ensinam a crer num ser único , onipotente, onisciente e onipresente que nos auxiliará em qualquer situação.  E sempre que nos vemos sós , debilitados ou necessitados clamamos a este ser único , incomparável, para que venha em nosso auxílio .
Será que paramos para pensar na imensa solidão desse ser ? Que apesar de ser chamado por muitos , só o é em momentos de sofrimentos e necessidade ?? Como será que o ser onipotente sente essa relação egoísta que tem conosco ? Egoísta sim, pois apesar de todo seu desejo de dar , de amar e proteger , ele vive solitário em seu reino celestial aguardando um chamado de socorro.
Algum voce convidou esse ser para ir à praia, ao cinema, para lanchar à tarde? Quando o chama não é com a intensão de compartilhar simplesmente por compartilhar, mas com a intensão de ser protegido por ele.
Então, antes de pensarmos no imenso vazio da solidão, pensemos no imenso vazio de nossas atitudes egoistas e pateticas frente a todo um discortinar de possibilidades.